Esperanto é uma língua criada para facilitar a comunicação entre os povos do mundo inteiro. Internacional e neutra, pertence a todos.

Ludoviko Zaleski-Zamenhof

Esse é Ludoviko Zaleski-Zamenhof (1925), filho de Adam Zamenhof, que era o filho mais velho de Lázaro Luís Zamenhof, o criador do Esperanto.

Imagem de Amostra do You Tube

 

L. Z. Zamenhof, aos dezessete anos, conseguiu, “por milagre”, escapar “do transporte da morte” durante a Segunda Guerra Mundial. Duas tias dele, Zofia e Lidia, filhas de L. L. Zamenhof, não tiveram a mesma sorte e foram transportadas para os campos de concentração nazi-fascistas, onde foram executadas, em 1942. O pai dele (Adam) também havia sido executado em mesmas circunstâncias, em 1939, logo no começo da guerra.

O Esperanto, contudo, já estava suficientemente incorporado na consciência superior da humanidade e já estava imortalizado. Não poderia ser destruído. Continua crescendo e cada dias mais forte na mente e no coração das pessoas humanitariamente inteligentes e defensoras da paz entre os povos, acompanhando as grandes transformações sociais e energéticas por que passa a Terra, rumo a um futuro inexoravelmente promissor, não só ainda durante a transição planetária, mas principalmente após a sedimentação da Nova Era.

Tudo o que é feito com amor e para o Amor permanece eternamente e se incorpora aos ideais maiores de todos os povos, de todas as gerações. É o caso do Esperanto, que veio ao mundo não só para ficar, mas também para ajudar a transformar, a iluminar os novos rumos da humanidade.

Comentários em: "Ludoviko Zaleski-Zamenhof" (1)

  1. Cícero Ribeiro comentou:

    Mi dankegas al nia straranino Izabel pro tiu chi emocia kaj bela filmo pri Zaleski Zamenhof, kiu plorigis min kaj ekvoligis min kisi vian senharajn kapon kaj chirkaubraki lin.

Deixe um comentário para: "Ludoviko Zaleski-Zamenhof"